Fundo by UniversalScraps.com
Mensagens para Orkut - Animated Backgrounds

domingo, 23 de setembro de 2012

Reportagem - no Jornal A Notícia


23 de setembro de 2012. | N° 1625        JORNAL A NOTÍCIA
A EDUCAÇÃO PRECISA DE RESPOSTAS
A ideia é focar no trabalho
Professora elabora projeto com foco nas profissões para atrair alunos que já estão no mercado de trabalho para o vestibular
Sabendo que uma das principais razões da evasão escolar, da reprovação e da distorção de série/idades é o trabalho entre os 16 e 18 anos, uma professora da Escola Estadual Maestro Francisco Manoel da Silva, do bairro Vila Nova de Joinville, desenvolveu um projeto para transformar essa aversão à escola em uma realidade menos complicada. Ela levou o interesse profissional dos cerca de 90 adolescentes do 3º do ensino médio para a sala de aula. Assim, ficou mais fácil e interessante estudar.

O terceiro ano do ensino médio, para muitos o último, traz uma série de dúvidas aos adolescentes. Prestar ou não o vestibular? E o Enem? Para encontrar uma resposta a estes questionamentos, a
professora Dania Hasse, de língua portuguesa, levou os alunos para fazer um teste vocacional. Eles responderam às perguntas, se dividiram em equipes, desenvolveram pesquisas e relatórios sobre as profissões e entrevistaram profissionais. O final da atividade foi uma feira de profissões. “Os alunos mostraram desenvoltura e criatividade. E o melhor: tiveram o apoio dos pais”, comemora Dania.

Moto e barco dentro da sala de aula

A imaginação rolou solta. Teve aluno até que levou uma motocicleta para dentro da sala de aula. Não se trata da profissão de motoboy. Mas, sim, de técnico em manutenção de motocicleta. “É a profissão do meu pai. Já trabalho com ele. Desde criança adoro motos”, contou o aluno Peterson Lemos, que pretende abrir seu próprio negócio após cursar engenharia mecânica. Emerson Natan levou peças de metal usadas para montar embarcações. Ele também já atua na área e quer cursar engenharia naval. “Pena que o mercado de trabalho em Joinville nessa área é ruim. Teria que ir para outra cidade”, avaliou o adolescente.

Para a professora, a atividade estimulou a socialização dos adolescentes e suas curiosidades. Além de ter deixado a aula mais atraente aos jovens. “Precisamos mostrar ao nosso aluno que não basta ficar só na gramática, lógica e outros conceitos. Devemos mostrar que existem caminhos que eles podem escolher, mas, para isso, precisam de dedicação aos estudos”, disse.

CAROLINE STINGHEN - Jornal A Notícia DI
A
 Emerson levou para a aula algumas peças de metal usadas para montar embarcações